FMEA- Análise dos Modos de Falha e Efeitos


PortuguêsEnglishEspañol

A análise FMEA tem como objetivo identificar potenciais modos de falha de um produto ou processo de forma a avaliar o risco associado a estes modos de falhas para que sejam classificados em termos de importância e então receber ações corretivas com o intuito de diminuir a incidência de falhas. É um método importante que pode ser utilizado em diferentes áreas de uma organização como: projetos de produtos, análise de processos, área industrial e/ou administrativa.

Existem vários tipos de FMEAS utilizados no mundo todo. Dentre eles, alguns podem ser mais utilizados do que outros diferindo em alguns aspectos como forma de classificar os riscos e nomes dados aos elementos. A forma de aplicar o FMEA deve estar descrita no processo de gerenciamento de risco da empresa. Existe a possibilidade de se realizar um único FMEA para o produto contudo deve haver no processo de gerenciamento de risco, avaliação de risco de produto, de processo e pós-mercado.

Segue descrição de algums FMEAs:

FMEA de Produto: Nele são analisadas falhas que poderão acontecer nas especificações do produto focando em componentes e subsistemas. Este tipo também pode ser chamada fmea de projeto.

FMEA de Processos:Tem como objetivo analisar a falhas no planejamento e execução do processo e consequentemente melhorá-lo.

FMEA de Sistema: Foca nas funções globais de sistemas

FMEA de Serviço: Foca em processos de manufatura e montagem

FMEA de Software: Foca em funções de software.

 

FMEA é parte não todo o gerenciamento de risco, também é parte de deste processo o plano e arquivo de gerenciamento de risco. Haverá situações em que deverá ser usada outra ferramenta para avaliação de risco e os documentos citados apresentarão todos os métodos utilizados durante o ciclo de vida do produto.

Reunião de FMEA

Uma reunião FMEA dependendo do tamanho do projeto ou processo pode levar de meio dia a vários dias, para identificar todas as etapas do processo ou projeto.

Para que se tenha um melhor resultado deve participar da reunião do FMEA uma equipe multidisciplinar com pessoas que participaram do projeto, do processo, área comercial e relacionamento com o cliente, além de especialista do produto. Quanto maior a variedade das pessoas presentes, mais visões do produto o que resulta numa avaliação mais abrangente.

O primeiro foco de um FMEA inicial deve ser:

  • Descrição
  • Modos de falha
  • Causas de Falha
  • Controle de Processo Atual

NÃO SE ATENHA A DEFINIR NÚMEROS (Severidade, Ocorrência, Detecção e RISCO).

Exauridos os modos de falha, volte aos números para atribuir gravidade, ocorrência e detecção.O número RPN a partir do qual as ações serão realizadas deve ser informado no Arquivo de Gerenciamento de Risco do Produto.Após a conclusão do FMEA, o risco residual (RPN2) deve ser aprovado pelo Responsável Técnico do Projeto. This approval must be registered in the Risk Management File.

Dicas para a reunião de FMEA

A reunião FMEA não é para BRAINSTORMING.

Várias reuniões FMEA devem ser realizadas ao longo do projeto e desenvolvimento, alguns problemas surgirão e exigirão equipe de fora da reunião, ou dados não disponíveis na reunião, anotados e resolvidos na próxima reunião.

Por experiencia própria nas primeiras reuniões leve o máximo de falhas conhecidas sem avaliadas não0. Use FMEA de produtos similares para que que não parta do zero.

Sempre tenha uma pessoa para coordenar / mediar a reunião e outra pessoa para relatar a reunião

O facilitador da reunião deve agendar um pequeno intervalo a cada hora.

Documento FMEA

O documento FMEA consiste de uma lista de componentes, funções ou serviços que podem falhar. Para cada um destes itens, são determinadas a ocorrência, os efeitos e os modos de falha para que então o risco inerente a falha possa ser calculado.O valor do risco (RPN) é um múltiplo de 3 variáveis (Ocorrência, Severidade e Detecção).

Considere as definições abaixo:

  • Falha: Perda de função quando ela é necessária.
  • Modo de Falha: Como você observa o dano causado.
  • Efeito da falha: Resultado ou consequência da falha.
  • Ocorrência de falha: Quantas vezes isto acontece.
  • Severidade de falha: O quão grave é a falha quando ela ocorre?
  • Detecção de falha: Posso encontrar a falha antes dela ocorrer?
  • RPN: Risk priority number – É o risco calculado que fica associado ao modo de falha.

O cabeçalho do nosso FMEA deve conter todas as informações importantes como área onde o componente está localizado,o sistema ao qual ele pertence,a data de início, revisão, equipe, elaborador, etc.

Os campos de um FMEA são :

  • Nome: Nome do componente, subcomponente ou sistema que está sendo analisado;
  • Função: é a função que o componente ou sistema desempenha;
  • Falha: é o evento que faz com o que o componente ou sistema perca sua função;
  • Efeitos: Resultado da ocorrência da falha ;
  • Severidade: A gravidade é uma avaliação da gravidade do efeito do modo de falha potencial. A gravidade aplica-se apenas ao efeito e segue a Matrix de risco.
  • Causa: Apresentação das possíveis causas para a falha ocorrer;
  • Ocorrência: É a probabilidade de ocorrer um mecanismo ou causa específica. A única maneira de reduzir efetivamente a taxa de ocorrência é remover ou controlar um ou mais mecanismos de falha por meio de uma alteração de design.
  • Detecção: É a possibilidade de detectar uma falha no projeto ou nos mecanismos de controle do processo.
  • Ações e procedimentos atuais;
  • Ações Recomendadas;
  • Responsabilidade;
  • Data Prevista;
  • Ação Tomada;

Quando realizar um FMEA?

O FMEA deve acompanhar o ciclo de vida do produto, desta forma, deve ser realizado:

  • Na concepção do Produto :Assim que definido o uso pretendido do produto
  • Na definição do Processo de produção do produto incluindo transferência
  • Periodicamente, após liberado para comercialização. Os dados da produção e dos clientes devem ser analisados e utilizadas como entrada para o FMEA

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.